Dentro e Fora - por Chico Abelha
Wednesday, 31 August 2011
posted by chico abelha

                         

 

Dia desses, a garotada que mora aqui perto de casa construiu uma cabana de bambu na área verde do condomínio, num local mais afastado das residências. Quer coisa mais gostosa pra uma criança do que fazer uma cabana? Era minha diversão predileta quando garoto. Fosse uma cabana subterrânea ou de paus e folhas, nela a gente re-criava o mundo, fazia do nosso jeito, ficávamos livres das chatices e das regras dos adultos. Eu gostava tanto dessa brincadeira que resolvi continua-la quando adulto e ao invés de pegar o meu diploma e arrumar um emprego, como tudo mundo faz, me internei no meio do mato e continuei construindo cabanas. De uma certa forma, construir cabanas acabou entrando no rol das minhas profissões, ao lado de apicultor, cozinheiro, massagista, garçon e outras tantas. Hoje não faço mais, moro na cidade, pra fazer uma cabana seria muito complicado… teria que pedir permissão na prefeitura, desenhar uma planta, com tanta burocracia vai-se a graça, mata-se a fantasia, que é justamente o barato de se fazer uma cabana.

 

Quando fiquei sabendo da construção dessa cabana, meu imaginário iluminou-se, revi as gostosuras das minhas tardes da infancia e pensei feliz: a internet e os games não conseguiram nem vão conseguir acabar com essa delícia, com essa necessidade de inventar um mundo à parte, no meio da natureza! Mas minha felicidade não durou muito. A cabana vai ter que ser destruída! Primeiro porque está numa área comum e representa risco para outras crianças. Os meninos tinham feito até castiçais de bambu e acendido velas na cabana que tem teto de palha, imaginem o perigo! E finalmente porque a cabana foi feita com bambu, cortado ilegalmente, não se pode permitir que ela ali permaneça, como um símbolo da contravenção bem sucedida! Com dó no coração, decidimos, nós da diretoria, mandar remover a cabana. Na verdade nem tivemos grande trabalho, o vendaval de ontem já havia posto a cabana no chão… Pudera, estava amarrada com barbante, lembrei das casas dos 3 porquinhos…

 

Esse episódio me fez refletir: essas crianças são saudáveis, saíram da frente do computador, que é o terror dos pais hoje em dia, e foram para a natureza, em busca de algo essencial para suas vidas. Eles não querem só sonhar, querem sonhar e realizar seus sonhos, mas nós adultos estamos impedindo que eles expressem essa necessidade! Onde foi que nós, pais, erramos?

 

Incomodado e me sentindo culpado de estar tirando o doce da boca da criança, fui procurar os menores infratores, na intenção de encontrarmos uma solução que agradasse a gregos e troianos. Na verdade, os menores não eram tão menores assim. Um deles devia ter pelo menos 18 anos, tatuado, muito mais alto e forte que eu, com toda pinta de ser o lider. Pela cara que fez, não gostou nada da minha intromissão, mesmo depois de eu ter elogiado a cabana e dito que na idade deles eu fazia igual. Sugeri que procurássemos uma solução em conjunto, um outro tipo de construção, num lugar mais adequado, mas tudo que consegui foi a declaração de que nenhum deles era o responsável pela cabana, que só tinham ido lá depois que ela ficou pronta. Quem construiu a cabana, então? Silêncio. Ficou um clima de tensão no ar, senti que eu tinha dado um tiro n’água.

 

Fui embora meio desapontado e, com dor no coração acompanhei a desmontagem da cabana. Ainda vou encontrar um meio de falar a lingua desses meninos…

21 comments


Visitor
Excelente!Qualquer educador ,como fui e tenho a alma ainda de ser,deveria ler e
refletir sobre essa crônica.
Também ajudei a construir e brincar nas cabanas de folhas de bananeira,era um sonho,
e sempre esperava ansiosa pelo dia seguinte a fim de viver um mundo só meu.
2 years ago
chico abelha
Você tem razão, Tony, os vigilantes deveriam ter visto a construção dessa cabana e não viram! Só se deram conta quando estava pronta. Os meninos devem ter demorado um dia, no máximo, pra construir isso, mas a vigilancia tinha que ter percebido. E a porta está aberta, se eles quiserem fazer outra cabana, vai ter que ser à partir de um projeto que contemple segurança e localização adequadas. Ainda acho que essa história não terminou.
3 years ago
O erro principal desta presepada foi de alguém que deveria ter visto eles construindo a cabana não ter impedido antes de ficar pronta, pois pelo que mostra a foto ela não foi feita da noite para o dia. Mas, se apresentava riscos para a molecada, evidentemente tinha que ser desmontada e explicar claramente os motivos, com certeza eles entenderiam. Uma alternativa para satisfazer os desejos das crianças seria colocar em votação a construção de uma cabana segura, feita com critérios e convidá-los para participar em forma de mutirão, estabelecer algumas regras de segurança e um plano de manutenção supervisionada e feito por eles mesmos.
3 years ago
chico abelha
Estou dilacerado, Dalsan...
3 years ago
Dalsan
Outra coisa Chico, vc é quem está em conflito!!! rsrss .... escreveu sobre chatices de adultos e suas regras, falou mal da modernidade simbolizada pelo computador e destruiu uma cabana !!!rsrrsrs
3 years ago
Dalsan
Isso, Chico. Regras....são regras!!! E tem inclusive hierarquia nelas,onde há poder, como diretoria, etc.....rsrs
3 years ago
chico abelha
Pois eu fui, Dalsan, construí todas que quis e agora me coube destruir uma delas... ironia do destino!
3 years ago
Dalsan
Não Chico, eu lido bem com os autoritários só me restando uma coisa ...rsrs
Aliás, vivemos uma Cleptocracia, quer melhor coisa que isso? Regras ditadas por um grupo em cima da gigantesca maioria que aceita e acha normal(afff) e quem desejar construir cabanas, que vá pro mato!!!
3 years ago
chico abelha
Dalsan, os meninos aqui moram todos em casa de alvenaria, você está forçando a comparação, projetando em mim um ser autoritário que te assombra a vida, não é não? rsrsrsrsrs!
3 years ago
Dalsan
Chico, aqui em sp houve um caso de um operador de trator que se recusou a destruir moradias em uma favela - a policia cercou o local com ordem de despejo. O motorista foi preso por se recusar a fazer o que a regra de nossa gloriosa sociedade imputou, ok? ele até chorou viu Chico?? rsrsr.É isso aí...quem pode manda, quem não aceita só resta chorar....
3 years ago
chico abelha
Cabana de Lego? Não, de plástico não, Roger, por favor! De madeira e sapé sim!
To sabendo não, dessas cabanas que são parada de disco voador... Será que era isso que eles queriam?
3 years ago
chico abelha
Para com isso, vai Dalsan! Eu faço parte da diretoria do condominio, não podia agir diferente, tinha que mandar desmontar a cabana e você viu que foi com dor no coração... eu tentei uma solução, não consegui na primeira tentativa, mas ainda não desisti!
3 years ago
Rogério
Sim Chico, você não acompanhou no noticiário sobre estas cabanas que vem do além? As crianças e as não tão crianças procuram o lugar com o intuito de serem abduzidas... Mas como a flor... que de manhã se abre a a noite está sem vida a cabana se foi.
Penso que todos nascemos originais e muitos terminam como uma cópia. Então ficamos todos tentando fazer algo diferente com medo de ser igual.
Quem sabe no condomínio fazem uma área para cabanas de Lego...
Não embolora e tem menor probabilidade de cair!
Valeu
3 years ago
Dalsan
Po Chico, vc se modernizou rapidamente ao sair do mato - até deu pinta de autoridade procurando o responsavel, alem de mandar destruir a cabana! Isso me lembrou favelas aqui em sp e volta e meia tais ordens de despejo!! rsrsrs.É isso aí...não tem nada que compare como o poder na mão ! rsrrs
3 years ago
chico abelha
É, o vento levou, mas ainda ficou a minha vontade de dar uma força pra esses meninos fazerem outra cabana...
3 years ago
Visitor
....e o vento levou.....do mesmo jeito que a cabana veio, ela foi embora.....
ainda bem que vc fotografou!
3 years ago
Edna
É mais eficiente!
É laptop de escrever!
Bora lá aquecer os dedinhos e a imaginação...rs
3 years ago
chico abelha
Slow demora mais tempo, Cris... eu não sou máquina de escrever... rsrsrss!
3 years ago
Edna
oba…mas daí eu quero slow tá?
3 years ago
chico abelha
Cris, cabanas são um útero, por isso gosto tanto delas e me identifiquei com os moleques. Mas parece que eu ainda tenho que aprender a falar a lingua deles… vou fazer um curso intensivo! rsrsrsr!
Um fast texto para um tempo em que tudo é fast… Quem sabe amanhã não tem mais?
3 years ago
Edna
Olha Chico… Isso de falar a língua desses meninos é coisa muito séria!Rs A esposa de meu professor que dá aulas de teatro pegou um grupo de crianças e o trabalho não rendia… O tempo passando e parece que a coisa não engrenava… Preocupada com isso ela passou a observar melhor o grupo… Sobre o que conversavam quando não estavam com atividade e descobriu que o papo era sempre futebol… Não deu outra… Começou a acompanhar as notícias, se interar sobre times e jogadores e participar das conversas… O milagre aconteceu! Ela foi aceita pelo grupo e a partir daí o curso conseguiu ter algum desenvolvimento e proveito… Falar a mesma língua é um ótimo primeiro passo! rs
A gente ta sempre falando sobre cabanas e de como ela fazem parte do imaginário das pessoas… Eu não sei se é assim com todo mundo, comigo é… De tanto eu subir no pessegueiro do quintal da minha infância, o meu pai construiu uma casinha de alvenaria pra eu brincar… Era pequena e foi ficando ainda menor à medida que eu crescia… Passava boa parte do meu tempo livre lá… Lembrança boa… Lembra que falamos sobre adobe hoje pela manhã e você mencionou que eram lego de gente alternativa… Ta aí de novo a cabana…
Sabe esse foi um fast-texto…Tão curtinho…Quero mais! rs

3 years ago